Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Casamarela

Blog experimental, dedicado a uma ala do Palácio Amarelo de Portalegre. Verdadeira «Casa de Bonecas», onde, seguindo a tradição, há sinais e emblemas de nobreza. Assim: Casa Amarela, Cas'Amarela, ou Casamarela

Casamarela

Blog experimental, dedicado a uma ala do Palácio Amarelo de Portalegre. Verdadeira «Casa de Bonecas», onde, seguindo a tradição, há sinais e emblemas de nobreza. Assim: Casa Amarela, Cas'Amarela, ou Casamarela

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Ouvido em Portalegre há 2 meses:

Numa loja da R. do Comércio.

 

A questão não era contextualizada como agora (17.10.2017) se está a fazer, para pôr no facebook, mas mantém toda a pertinência e não a esquecemos.

"Já que a desertificação parece estar aí, e a RESILIÊNCIA parece ser mais do que uma ordem (i. e. - um «salve-se quem puder»): sff, quem ajuda a tomar uma das primeiras medidas?

Pergunta que se dirige às/aos muitos ‘designers’ que por aqui andam, ex-alunos meus/nossos*:

Como fazem, que bombas de aspiração usam para se poder recuperar e depois re-utilizar em sanitas e despejos, as águas do duche e outras lavagens?

Agradece-se que indiquem modelo(s), marca(s), preço e referências que possam ajudar na aquisição.   

*Ouvi fazer esta pergunta (que é lógica e muito pertinente), em Agosto, numa loja de máquinas e ferragens, de Portalegre."

A esferograficar e ainda mais alguns riscos*

A_esferograficar.jpg

DSCN9451-b.jpg

DSCN9456-c.jpg

DSCN9457-d.jpg

DSCN9450.JPG

DSCN9448.JPG

DSCN9446-b.jpg

Do Alto-Alentejo, Reportagem para Lisboa:

Para a Filipa e família, Carlota, João Rebolo, e quem mais quiser...

Um post sem assunto, mas com imagens exemplo do que se pode riscar:

Por puro prazer, como é desenhar com giz, no chão!

Pelo meio usar o computador, digitalizar e ampliar os milhares de riscos feitos a esferográfica (sobre papéis formato A6).

*Mini-exposição, numa «casa de bonecas», onde também se arriscam vários trabalhos: de restauro, remover caliça, camadas de estuque sobre escaiolas, apanhar pó, subir e descer escadote, descobrir pinturas antigas, ver o nascer e pôr do sol; ouvir o vento a assobiar, os ramos de um plátano a bater, como se fora no mar, um enorme temporal

 

'Work in progress', «a desenhar claustros», que é ainda um «puxar» pelo computador:...

Na tentativa de obter, em desenho, uma expressão mais clara daquilo que nos parece ser já uma feição neoclássica: patente no desenho dos arcos deste claustro da Sé de Portalegre.

claustro-desenhosComputorizados&manual.jpg

 Na composição acima dois excertos de fotografias que foram computorizados e abaixo um excerto de desenho.

Se a nossa imagem (que a desenhámos) está incompleta, pelo menos as que estão acima mostram bem a proporção dos arcos. 

A referida expressão neoclássica, que vemos, tem a ver com os ornamentos empregues - designados espelhos e fogaréus -, mas, sobretudo (e como interpretamos esta situação) com as molduras feitas no mármore e no granito.

Que o interior não perca o que tem de melhor:

Mas ganhe o que nas zonas mais densas, populacionalmente, são vantagens*.

E como dizemos, essa é uma ponte entre o litoral e o interior, que também nos interessa (se for possível) fazer...

Em que os materiais produzidos e recolhidos ao longo de toda uma vida (como algum 'Know how' mais específico) são postos à disposição dos outros: como são exemplo desenhodesign,  cultura tradicional - mais erudita ou sobretudo mais ecológica.

Matérias (e materiais úteis), que, supomos, sendo compreendidas e postas em prática - num tempo em que as alterações climáticas são um enorme desafio à inteligência e capacidade de adaptação dos humanos - tenderão a esbater e a «sublimar as percas» que novos modos de vida, mais sustentáveis para o planeta, irão forçosamente trazer.

Enfim, diríamos que todos temos um lado mais racional e intelectual, que há-de (certamente?) pretender impôr-se aos actos (e  prazeres) mais simples de todos; os que, por vezes tão simples eles são, que simplesmente nos inibem de pensar nas suas más consequências...**

semAmanhãs-b.jpg

 (Esquema que durante cerca de 20 anos explicámos aos alunos. Quem ouviu?

Pois! É que só agora alguns sentem, e assim compreendem, a sua premência...)

~~~~~~~~~~~~~~~~~~

*Sem deixar crescer, indefinidamente, a montanha dos desperdícios.

**Como por exemplo consumir água engarrafada, quotidianamente, sabendo que a embalagem da água irá para montanha dos desperdícios, enquanto cada vez mais se cava, exaurindo-o, o fosso dos recursos.

Sé de Portalegre: infos sobre o Claustro

in J. D. Heitor Patrão

claustro-sé-HeitorPatrão.jpg

A imagem acima é a p. 128 do Guia de Visitação (2ª edição), de Catedral de Portalegre .

Atenção ao último parágrafo e ao que nele consta sobre a iconografia aplicada no Claustro de que vimos a escrever:

espelhos e fogaréus.

Talvez se perguntem: Espelhos e fogaréus o que é? De que se trata?

Re: Para já é só material para os próximos. posts. Já que queremos inovar, mostrando o que pode ser uma interpretação mais rica - e Iconoteológica - de um espaço que nos surge altamente depurado; i. e., quase sem «formas significantes», sobretudo se comparado com outros, e na perspectiva do que têm sido (mais) consideradas arquitecturas falantes.

Sigam portanto, se estiverem interessados, aquilo que se vai escrevendo.

'Work in progress' - e, estando por aqui «a desenhar claustros»*...

... de repente apercebo-me que o Claustro da Sé (de Portalegre), de um conjunto que é dito barroco, afinal -  mas isto é para mim (!) - já parece ter uma expressão neoclássica ?

Pois lembra-nos (fará sentido colocar assim esta questão?) dois arcos de Sintra: Seteais e Ramalhão.

Mas fará mesmo sentido?

Vamos pensar, continuando no nosso trabalho cuja característica principal é ser experimental (sempre a progredir): ou seja, é o próprio acto de desenhar um dos grandes «fornecedores» das ideias que depois desenvolvemos e em que se começa a pensar com mais profundidade...**

ClaustrStaClara-esboço.jpg

 Esboço - compreender Claustro do Convento de Santa Clara, hoje BM Portalegre

 ClaustrDaSé-esboço-2.jpg

 Esboço - compreender as "effable shapes" do Claustro da Sé de Portalegre...

 E, de repente, apesar de incompleto (sobretudo faltando a altura e portanto a proporção de cada edícula - que aqui é esbelta); de repente sentir que o ambiente é talvez neoclássico? Será possível...?

~~~~~~~~~~~~

*Claro que "a desenhar claustros" é certamente uma das actividades a que se dedica um enorme número de pessoas, cada vez mais: um crescendo que não pára de se notar!

**Foi aliás isso que aconteceu em 2002 quando percebemos estar na presença de um esquema (do pensamento visual), que depois se tornou numa «imagem-símbolo» e mais tarde em edícula.

NEC DOMUS DOMINUS, SED DOMINO DOMUS, HONESTANDA EST

Já aqui escrevemos, muitas vezes, sobre uma iconologia específica - ou, entenda-se, de vários sinais da iconografia cristã (que foram aplicados na arquitectura). Eram sinais de nobreza, marcantes da(s) Domus (i. e., da arquitectura doméstica).

O que aconteceu frequentemente em Portalegre, na cidade que foi dos 6 ou 7 conventos (?), mas que é ainda, também, a cidade das Pedras d'Armas, ou Portais Armoriados.

Exemplo que se encontra e pode ver em dois cunhais do Palácio Amarelo.

E por isto escrevemos hoje um post muito mais longo e erudito. Numa só palavra há que dizer: «especializadíssimo». De tal ordem que, na destrinça temática que tentamos fazer nos nossos blogs - acabámos por decidir exportá-lo para Iconoteologia.

Está lá, vão -----> por aqui. para quem quiser esforçar-se e compreender uma Historiografia da Arte que se baseia na Teologia Cristã, onde aliás nasceu!

Restaurar e ficar:

Ou um "restore & stay" como no Château de Gudanes...

Se aqui houvesse hipótese de implementar esta ideia, (...) quem sabe?

Poderia ser talvez uma forma de ir avançando, com mais resultados, visíveis...

DSCN8760.JPG

Como visíveis são (desde que bem iluminadas) as diferentes camadas de tintas que assim «assassinaram» uma "salinha barroca" de uma casa que é ainda agora considerada um ex-libris da cidade de Portalegre.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.