Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Casamarela

Blog experimental, dedicado a uma ala do Palácio Amarelo de Portalegre. Verdadeira «Casa de Bonecas», onde, seguindo a tradição, há sinais e emblemas de nobreza. Assim: Casa Amarela, Cas'Amarela, ou Casamarela

Casamarela

Blog experimental, dedicado a uma ala do Palácio Amarelo de Portalegre. Verdadeira «Casa de Bonecas», onde, seguindo a tradição, há sinais e emblemas de nobreza. Assim: Casa Amarela, Cas'Amarela, ou Casamarela

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O Valor do Património não é só coisa estimativa ou afectiva

Também não é coisa para encher os tempos livres (ou as mentes vazias) dos mais novos.

Dos que as escolas onde eles andam, as ditas escolas querem-nos empurrar a que fiquem mais tempo nessas instituições, para, permanecendo, irem pagando mais propinas.

Sabemos disso, infelizmente, por experiência, pois lemos os posters que se afixam, a querer convencer os alunos a fazerem pós-graduações e mestrados, que podem ou não ser-lhes úteis, mas que serão de certeza rentáveis para quem os cria...

Desgraças, gravíssimas que vão no Ensino Superior, a que o MEC não consegue, ou não quer pôr fim.

Mas, se muitos cursos parecem (!) ter nascido para «entreter», também há quem veja neles muito mais do que isso, e uma enorme utilidade.

A de aos poucos ir conseguindo mudar mentalidades. E esta página do Público, do passado dia 7 de Setembro, é exactamente disso que fala: OvalordoPatrimónio.jpgDa história de um professor/arquitecto que não se limitou a ensinar, e na sua própria vida experimentou aquilo que, até contraria, o que é mais normal um arquitecto viver (ou querer transmitir aos seus alunos).

Porque apesar dos edifícios abandonados serem vistos facilmente como «cascas deixadas nas paisagens»; e portanto muito apropriados para depois serem esventrados e se fazer no seu interior aquilo que está mais em voga (ou se está a fazer nos interiores dos edifícios mais contemporâneos). Juan Domingo Santos ajuda a reflectir no que é chamado como apropriação de um espaço existente:

Dir-se-ia que é um funcionalismo visto ao contrário, - o qual aliás seria bem interessante ser também pensado nas escolas de Design* - para se aprender a usufruir, ao máximo, da beleza das ruínas que Ruskin tanto amou.

É que todas estas lógicas nos assaltam a mente, cada vez que entramos no nº 15 do Largo Cristóvão Falcão em Portalegre.

OvalordoPatrimónio(2).jpg* O exercício do que fazer com este bem, que tem estas características e que não quero desvirtuar, como fazer para ser útil. Exercício óptimo para estes tempos em que a sustentabilidade precisa de ser aprendida, e ter traduções realistas, úteis e não fúteis...   

     

Guardar

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.