Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Casamarela

Blog experimental, dedicado a uma ala do Palácio Amarelo de Portalegre. Verdadeira «Casa de Bonecas», onde, seguindo a tradição, há sinais e emblemas de nobreza. Assim: Casa Amarela, Cas'Amarela, ou Casamarela

Casamarela

Blog experimental, dedicado a uma ala do Palácio Amarelo de Portalegre. Verdadeira «Casa de Bonecas», onde, seguindo a tradição, há sinais e emblemas de nobreza. Assim: Casa Amarela, Cas'Amarela, ou Casamarela

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

RECUP (2)

Desde Novembro de 2014 que estamos a recuperar uma parte do Palácio Amarelo de Portalegre. 

Depois de uma primeira fase de obras de maior dimensão - por corresponderem a uma total reposição das estruturas da cobertura (toscos) - resta-nos, paulatinamente, ir recuperando alguns detalhes de maior valor histórico e a maioria dos acabamentos. 

Não deixam de ser muito relevantes as condições em que a CM Portalegre devolveu a casa, nada despicientes - pelo contrário - por tudo o que contribuiu para a sua degradação: uma história que terá começado (feliz?) há cerca de 50 anos, com as bibliotecas da Gulbenkian. Mas que não terminou com o mesmo grau de felicidade: ou seja igualmente promissora para o futuro, quando a Câmara Municipal de Portalegre decidiu aproveitar o espaço do antigo Convento de Santa Clara para aí acomodar, em instalações muito mais amplas, a sua nova biblioteca.

Note-se que esta foi uma óptima decisão, está lá, na Rua de Elvas, ao lado do edifício da CGD um óptimo equipamento municipal. Só que não acautelou os cuidados a ter com o espaço que tinha sido o inicial da referida biblioteca.

O da biblioteca que, por sinal, nascera bem pequenina nos finais da década de 1960, nas instalações localizadas no Lgº Cristóvão Falcão nº 15, e que ainda agora são referidas como «biblio», por algumas entidades e pela população, em que a maioria dos que têm 40-50 anos, conhece o edifício e o frequentou assiduamente em aulas e cursos, até de música.

Depois, a partir da mudança da «Biblio» para o antigo Convento, a CM de Portalegre passou a «negligenciar», militantemente, e também independentemente do valor patrimonial, as instalações da anterior biblioteca. As quais deixou que se degradassem de uma maneira que facilmente se prova: visto que a partir de Abril de 2013 tudo foi fotografado, para que não restassem dúvidas do vandalismo protagonizado pela CM portalegrense...

Por outro lado, também toda a cidade soube que a Casa foi emprestada, como se fosse um  armazém, ao dono de um restaurante local. Idem, sem o menor cuidado, nem acautelando um bem que os senhorios tinham alugado/entregue à guarda da Câmara Municipal...

Claro que para contar a génese desta RECUP (por extenso os Trabalhos de Recuperação em curso) também se poderia ir mais atrás - talvez a 1930? - lembrando a desertificação que o país interior sofreu, em prol de uma hiperlitoralização de que já se escreveu.

Ficam dois «cartazes/manifesto», sendo que o último ficou também afixado no local.

DSCN7246.JPG

Nesse último referem-se imagens do interior da Casa Amarela e download de desenhos.

Os mesmos - textos e desenhos - são dedicados a todos os que se interessam pelo Património Arquitectónico, e que por ele nutrem alguns sentimentos, até mesmo afectividade, por terem crescido em contacto com esses equipamentos, que os marcaram desde muito cedo.

Neste blog, como se pode confirmar, existem diferentes tipos de elementos, como são desenhos e varias informações escritas, que assim se tornam abertas e acessíveis, i. e., postas ao alcance do cidadão comum: de todos os que querem compreender a história arquitectónica da sua cidade - Portalegre, do bairro e da rua onde moram. Não que a conheçamos, desde já, melhor do que os mais ilustres e informados portalegrenses; nem pensar, pois é com esses que teremos de aprender!

Mas, porque vindo e estando também de fora - com métodos e analogias que sempre se adoptam e estabelecem quando se quer estudar e conhecer algum destes temas; deste modo os (nossos) caminhos de aprendizagem, que já fizemos ou vamos fazendo, são depois aqui disponibilizados. Como já é este exemplo

ou estoutro de muito maior dimensão e importância

DSCN7248.JPG

Entre esses caminhos estão algumas/várias explicações sobre aquilo que moldou (ou desenhou) as formas citadinas: aquilo a que os ingleses chamam townscape - que quotidianamente os portalegrenses vão percorrendo. Não apenas na zona da Sé, do Museu Municipal (antigo seminário), mas de todos os que formos conhecendo e estudando.

Para elementos gráficos, fotografias ou informações que aqui se possam disponibilizar, enviar e-mail para:

bien.faire.et.laisser.dire.gac@gmail.com

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.