Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Casamarela

Blog experimental, dedicado a uma ala do Palácio Amarelo de Portalegre. Verdadeira «Casa de Bonecas», onde, seguindo a tradição, há sinais e emblemas de nobreza. Assim: Casa Amarela, Cas'Amarela, ou Casamarela

Casamarela

Blog experimental, dedicado a uma ala do Palácio Amarelo de Portalegre. Verdadeira «Casa de Bonecas», onde, seguindo a tradição, há sinais e emblemas de nobreza. Assim: Casa Amarela, Cas'Amarela, ou Casamarela

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O Portal do Palácio Amarelo de Portalegre

O Portal monumental (porta principal) do Palácio Amarelo, e alguns detalhes, estão nas fotografias de hoje.

Quanto às motivações para os Programas Estéticos deste portal - mas também de todos os Portais que constam e se elencam na História da Arquitectura Europeia - podem ler o que está em: http://iconoteologia.blogs.sapo.pt/vaos-e-vergas-ainda-as-notas-de-um-69479

(para a tradução em português ler o texto sublinhado a amarelo) 

Parecerá demasiado erudito - tratam-se de materiais investigados e obtidos em estudos de doutoramento... - mas bastam alguns segundos ou um minuto de atenção, para permitirem compreender aquilo que se lê.

Mais: sabendo um pouco da obra que é atribuída ao chamado Pseudo-Dionísio, o Areopagita (o que se encontra facilmente em vários/muitos sites da Internet) compreenderão como é antiquíssima a tradição de trabalhar, decorativamente, os Portais: i. e., as portas de acesso ou os limiares de espaços privados, os quais são, é forçoso, diferentes dos espaços públicos aos quais se interligam. Acontece que sempre se quis marcar esse contraste.

Sendo por isso os portais diferentes, e as suas portas mais decoradas, uma forma de marcação, enfática ou conveniente das transições que as portas, ou passagens, constituem: no sentido original da palavra decorativo, como explicado por Justino Maciel em notas ao Tratado de Arquitectura de Vitrúvio.

Dada a sua beleza são muitos os que têm escrito sobre o Palácio Amarelo de Portalegre*, mas desconhecem (talvez?) que desde 1909 uma pequena alteração na organização interior permitiu dividir o Palácio em duas casas a que correspondem as portas nº 15 e nº 13.

No Portal da fotografia, o vão de vidros irregulares (antigos, a reflectir a folhagem do plátano) e a varanda que o completa, correspondem ao nº 13 do Largo Cristóvão Falcão.

*http://entretejodiana.blogs.sapo.pt/85255.html

http://velhariasdoluis.blogspot.pt/2012/09/palacio-amarelo-de-portalegre-um-detalhe.html

O Palácio Amarelo e...

... a Casa Amarela

 

Continuam - "ao Sol que brilha fulgindo" - como O Gato à sua janela... de Afonso Lopes Vieira.

Nada têm a ver a Casa e o Palácio com o dito Poema, mas um Sol que se vai esconder atrás da Serra da Penha, e que por isso todos dias, ao fim da tarde, espalha pela Cidade um tom amarelo forte - que segundo nos parece pode ter estado na origem da designação do Palácio? - lembra os versos do Poeta...

A Cidade de Portalegre está repleta de Casas (mais ou menos?) Nobres, ou, mais especificamente, de Casas Brasonadas como se diz num documento da Câmara Municipal.  

Significando a designação "Casas Brasonadas" o facto de terem Pedras de Armas, ou pedras com Brasão inscrito.

Enfim, estamos a chegar a um «ramo do conhecimento» de que sempre estivemos afastados, deliberadamente.

Mas, ultrapassando esse ponto (já que é preciso entrar um pouco nesta área para fazer precisões e dar esclarecimentos, sobretudo relativos aos estudos que temos feito): muito mais do que os referidos Brasões colocados nas fachadas, ou nos seus cunhais - sempre em posições destacadas como por exemplo associadas a portas ou a portais de maiores dimensões - aquilo que nos interessa é bem menos a Heráldica, ou as Linhagens das Famílias e as suas Genealogias. O que de facto queremos conhecer, como consta em Primaluce e em Iconoteologia, é a Iconografia que sempre se aplicou - não de forma de velada, embora esteja muito ignorada... - porém bastante visível, nas Casas Palatinas (tal como na Heráldica, sendo, frequentemente, as mesmas formas).

Dito de outro modo, nas Casas dos que eram considerados nobres de sangue; ou ainda, e igualmente (por mais estranho que possa parecer!), nas daqueles que também se «autoconsideravam» participantes dessa mesma nobreza.

Aqui, é natural, face à frase e à redacção do que se acabou de escrever, que esta nossa ideia faça «algumas cócegas»..., mas mantêmo-la por nos parecer que sempre foi assim!

Agora, e avançando com o que são novos elementos informativos sobre o Palácio e a Casa Amarela de Portalegre, recentemente pudemos verificar que a «desanexação» que criou duas partes ocorreu em Setembro de 1909.

Portanto, pode dizer-se que é secular, havendo mais informações gerais sobre a Casa e o Palácio Amarelo em:

http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=3211

http://www.patrimonius.net/detalhes.php?i=85

http://www.cm-portalegre.pt/page.php?page=627

http://portalegrecultural.pt/interpretacoes-e-interaccoes-urbanas-na-cidade-de-portalegre/

http://primaluce.blogs.sapo.pt/

http://iconoteologia.blogs.sapo.pt/

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.